O que é uma startup e porquê ela foge totalmente do tradicional

Apesar de startup ser um termo tecnicamente muito novo, ela já é mais do que realidade no Brasil. No entanto, está marcada de maneira tão intrínseca no imaginário brasileiro, que muitos sequer sabem como definir o que é uma startup.

Qualquer empresa pequena é uma? Quantos tipos de startup existem? Essas são informações que muito não sabem responder aqui no Brasil. No entanto, estamos numa época com startups unicórnios como iFood, NuBank, Rappi, 99Pop, entre outras.

Então mesmo sem saber o significado de startup, você consome seus produtos. Prossiga com a leitura para passar a entender tudo sobre startup!

O que é uma startup?

o que é uma startup

O significado de startup (start = iniciar + up = para cima) se refere a uma empresa em fase inicial que possua uma proposta inovadora. Não só isso: essa proposta inovadora possui um potencial de crescimento absurdo.

Sua área de atuação é irrestrita, podendo ir de cartões de crédito até aplicações agrícolas (sendo conhecida como agritech). No entanto, sua base para operações é sempre a partir de nova tecnologia.

Sua origem parte do Vale do Silício, localizado na Califórnia, que se especializou em alta tecnologia e inovação. A expansão do termo ocorreu durante o final da década de 90, com o “bolha ponto com”.

Atualmente, é um dos negócios mais lucrativos para investimentos, apesar de seus riscos. Na verdade, segundo pesquisa da Lavca, os investimentos em capital de risco em 2018 bateram o recorde de US$ 1,3 bilhões.

Além disso, startups de sucesso como o iFood, Nubank, Rappi e 99Pop já bateram o teto de US$ 1 bilhão cada.

Qual sua diferença do modelo empresarial tradicional?

o que é uma startup

Para saber tudo sobre startup, é necessário já ter uma definição simples em sua cabeça: nem toda empresa nova é uma startup, assim como nem toda startup será uma para sempre.

Essa diferenciação ocorre pelos três pontos que definem o que é uma startup:

  • Inovação: empresas desse tipo propões soluções criativas e fora da caixa para um certo problema. Ver as coisas de um jeito diferente é praticamente um pré-requisito;
  • Escalabilidade: a empresa amplia seu faturamento num ritmo maior do que o de custos e despesas;
  • Flexibilidade: maior capacidade para se adaptar a diferentes cenários, internamente e externamente. Por ser uma empresa pequena, a startup deve ter agilidade para testar possibilidades e aprimorar-se para a demanda do mercado.

Como uma startup passa a existir?

Como a startup possui uma proposta inovadora, é natural que alguns a vejam com desconfiança. Por isso, uma startup de sucesso precisa contar com investimento próprio ou a de um investidor anjo.

O investimento próprio, conhecido como bootstrapping, usa apenas do dinheiro acumulado pelo idealizador do projeto. Essa economia deve ocorrer de pouco em pouco e o modelo de negócio deve proporcionar um retorno financeiro imediato.

Já o investidor anjo se trata de uma pessoa que aplica seu dinheiro em troca de participação minoritária na empresa. Além de investir, esse investidor ainda pode assumir um papel de mentor.

Quais são os tipos de startup?

o que é uma startup

Devido ao seu extenso campo de atuação, startups possuem dois tipos de classificação. Veja elas a seguir!

Tipos de startup (segundo o mercado)

  • Small-Business: conta com empreendedores iniciantes, com visão comercial menor. Não possuem interesse em expansão, atuando apenas localmente;
  • Scalable: modelo de negócio com grande potencial de crescimento, bastando apenas investimento para crescer;
  • Lifestyle: modelo de negócio baseado num ideal ou sonho do empreendedor;
  • Buyable: conta com uma grande ideia, necessitando de capital de risco para concretizá-la;
  • Social: próxima ao modelo Lifestyle, visando um papel social e podendo contar, ou não, com fins lucrativos;
  • Large-company: startup de grandes empresas que precisam inovar seu modelo de negócio e se adaptar ao mercado;
  • Startup unicórnio: startups que, em pouco, já estão avaliadas em mais de US$ 1 bilhão.

Nichos dentro do mercado

Dentro dessa classificação, há pequenos nichos que se sobressaíram no mercado: as Fintechs (ramo financeiro), Healthtechs (saúde e medicina), Edtechs (educação), Lawtechs (direito), Agritechs (agrícola), entre outros.

Tipos de startup (segundo modelo de negócio)

  • B2B (Business to Business): atendem a uma empresa;
  • B2C (Business to Consumer): atendem ao consumidor final;
  • B2B2C (Business to Business to Consumer): atendem a uma empresa, já visando atender à necessidade do consumidor.

Como uma startup começa?

A principal diferença de uma startup e uma empresa tradicional é provavelmente o cenário de incertezas que cerca a primeira. Claro que empresas normais sofrem com riscos, mas o risco para uma startup pode ser seu fechamento.

Por isso, uma startup precisa pensar em capital de risco para iniciação e desenvolvimento do projeto ideal. Além disso, pode contar com o Produto Mínimo Viável, que serve para validar o modelo por opinião popular, gastando o mínimo possível.

Essa noção de menor custo na produção faz parte da metodologia Startup Lean. Ela possibilita um trabalho de eliminação de desperdícios durante o processo e se baseia em três pilares:

  • A construção de um Business Canvas;
  • Usar da abordagem Customer Development (Desenvolvimento com Clientes);
  • Adotar o Desenvolvimento Ágil, sem perda de tempo ou de recurso.

Como uma startup se mantém lucrativa?

Tudo sobre startup envolve o conceito de inovação – e isso faz parte do DNA de startups de sucesso. No entanto, quais os motivos por detrás de sua lucratividade? Veja eles a seguir!

Agilidade em decisões

No ambiente corporativo, toda decisão passa por inúmeras mãos. Já uma startup possui maior flexibilidade no desenvolvimento de seus produtos. Dessa forma, ela consegue reagir mais rápido às mudanças do mercado.

É escalável

Para uma startup, é possível crescer cada vez mais sem perder seu modelo de negócios. Acontece que ela pode atingir, dependendo de seu planejamento, um grande número de clientes e gerar lucro rápido.

O seu segredo é que não há aumento significativo dos custos!

Está próximo do cliente

Buscando ter uma maior certeza de lucro, a startup deve estar mais próxima dos seus clientes. Entendendo suas necessidades, ela pode produzir produtos que sanem seus problemas e levem a um lucro rápido (afinal, era exatamente do que eles precisavam!).

Redução de custos

Dentro do que é estabelecido na metodologia Startup Lean, o empreendedor deve retirar os desperdícios de seu projeto, ou seja, fazer corte de gastos. Um dos cortes que podem ser feitos nesse modelo é o de gastos operacionais.

O que é uma startup para você?

Atualmente, nos encontramos na Era Pós-Startup. Nesse momento, a inovação não é a startup em si, mas quais os limites que ela pode extrapolar. Dessa forma, é um cenário para identificar problemas e criar um produto em cima disso.

Foi esse espaço do mercado que permitiu que startups brasileiras estejam entre as mais famosas do mundo – um espaço que também existe para você!

E isso parte de entender o que é uma startup. Depois, você deve passar a compreender os problemas do consumidor. Por fim, deve idealizar uma forma de resolver esse problema com o seu produto.

Compartilhe :

Fale com um consultor