Por que ser um microempreendedor individual?

Se você decidiu empreender e vai começar seu negócio sozinho, com rendimentos anuais de até 81 mil reais, a inscrição como MEI, Microempreendedor Individual, é a melhor porta de entrada para o mundo empresarial.

As vantagens de ser MEI

Você passa a ter CNPJ e Inscrição Municipal e Estadual, o que facilita a abertura de uma conta bancária jurídica e pedidos de empréstimos.

Além disso, fica enquadrado no Simples Nacional com isenção de tributos federais, como Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL.

A única despesa é um imposto mensal, o DAS, que corresponde a 5% do salário mínimo, a título da Contribuição para a Seguridade Social, mais R$ 1 de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e R$ 5 de Imposto sobre Serviços (ISS).

O valor é pago por meio de boleto impresso no Portal do Empreendedor.

O MEI pode emitir nota fiscal de venda de produtos e prestação de serviços. Um ponto muito importante, se levarmos em consideração que um empreendedor não formalizado perde diversas oportunidades por não emitir nota.

Outra vantagem é a cobertura previdenciária como aposentadoria por idade após 15 anos de contribuição, auxílio doença e reclusão, salário maternidade e pensão por morte.

Se você perceber que o negócio está crescendo e vai precisar de um funcionário, o MEI pode ter um empregado com remuneração de um salário mínimo ou o piso da categoria.

Fique atento!

A legislação, infelizmente, não prevê tratamentos para o empresário incrementar suas atividades e nem estimula o seu crescimento.

Se o seu rendimento aumentar acima do teto estabelecido talvez seja o momento de se enquadrar em um outro tipo de empresa, como EI ou EIRELI.

Antes de se cadastrar como MEI, é preciso verificar no Portal do Empreendedor se a sua atividade se enquadra na lista de atividades permitidas.

Você também deve consultar se a mesma pode ser realizada no bairro onde pretende registrar e instalar sua empresa.

Dica: é prestador de serviços? A sua casa pode ser o seu local de trabalho.

Alguns coworkings, como o DESK, oferecem o serviço de endereço virtual ou endereço fiscal para dar uma cara mais corporativa a seu negócio.

Inclusive, você pode trabalhar no escritório compartilhado e estabelecer networkings, que podem ajudar no crescimento do seu negócio.

Burocracia: Como se registrar como MEI?

Depois de conferir esses detalhes, é hora de se registrar.

O processo é feito pelo Portal do Empreendedor, no qual você informará os seu dados pessoais, o endereço e a atividade comercial que será praticada.

Ao fim do processo, você receberá o seu CNPJ de MEI.

O Portal do Empreendedor permite a formalização nas esferas federal e estadual, mas ainda falta a etapa municipal.

Para isso, você deverá ir à prefeitura fazer o Cadastro de Contribuinte Mobiliário (CCM). Essa inscrição te dará direito a emitir nota fiscal de prestação de serviços.

Cada município tem seu procedimento de cadastro. Algumas cidades oferecem esse serviço pela internet, enquanto outras exigem que o empreendedor se desloque até o prédio da prefeitura.

Se for atividade de comércio ou indústria, a emissão de nota fiscal envolve a Secretaria da Fazenda do estado. Você terá que entrar nos sites dessas entidades para solicitar a permissão.

Precisa de ajuda com a parte burocrática para abrir uma empresa? Conte sempre com a ajuda do DESK Coworking – Empreendedorismo e Consultoria.

Acompanhe nossos artigos e inscreva-se em nossa newsletter.

Compartilhe :

Fale com um consultor