Empreender na crise é uma boa ideia ou não?

Muita gente acredita que o empreendedorismo, seja ele digital ou não, é um obstáculo a ser vencido diante da crise. E você, acha que é possível empreender na crise?

Porém, é preciso responder uma questão: será que o empreendedorismo surge a partir da necessidade ou da oportunidade?

A verdade é que sabendo se aproveitar da crise, ela pode acabar virando uma grande aliada do empreendedorismo digital.

Um empreendedor sabe utilizar a crise como uma ferramenta para, de forma oportunista, utilizá-la para alcançar suas metas. No entanto, não entenda o oportunismo como algo pejorativo. 

Simplesmente a crise dá oportunidades necessárias para que um empreendedor busque atender as necessidades das pessoas de uma forma mais impactante.

Desde 2014, o Brasil passa por uma profunda crise financeira (ou talvez política, mas não vamos entrar no mérito da questão). Isso acabou criando muito desemprego e perda de poder aquisitivo.

Portanto, aquele mesmo brasileiro que ganhava R$2 mil reais por mês, continua ganhando o mesmo salário, mas podendo comprar muito menos coisas.

No entanto, foi a partir da crise financeira que muitas empresas começaram a crescer. Empresas e empreendedores, é claro. Muitas dessas pessoas se tornaram empreendedoras de sucesso por uma questão de necessidade.

Aliás, há muito mais necessidade do que oportunidade, já que perderam seus empregos.

Hoje em dia, no ano de 2021, mais de 22 milhões de brasileiros trabalham como autônomos, sendo que grande parte desse empreendedorismo nasceu na crise.

Segundo dados da SEBRAE, pouco mais de 26% dos empreendedores brasileiros iniciaram suas carreiras no estouro da crise. 

E todos eles têm algo em comum: procuravam uma forma de ganhar dinheiro ao empreender na crise. Mas para isso, precisa haver planejamento!

É viável fazer uma empresa crescer em meio à crise?

Empreender na crise

É claro que a crise também tem o seu lado negativo no empreendedorismo. Muitos empreendedores precisam declarar falência devido ao grande impacto a diversos segmentos da economia.

Porém, um empreendedor tem duas opções. Ou ele olha o copo meio cheio, ou meio vazio. É uma questão de perspectiva e de saber se aproveitar da necessidade de outras pessoas. 

Novamente, não entenda isso como uma questão pejorativa. Um empreendedor não é alguém que se aproveita da fraqueza de outras pessoas. Ele simplesmente enxerga na necessidade delas uma oportunidade para criar uma solução viável.

A partir desse empurrão que a crise deu, os brasileiros conseguiram novas oportunidades de trabalho. Afinal, o empreendedorismo digital no Brasil ainda não é tão explorado quanto em potências maiores. Muitos dos produtos e serviços criados aqui foram inspirados em produtos americanos.

Lá, é comum que crianças comecem a aprender sobre empreendedorismo ainda na escola. Não se surpreenda quando um garoto de 13 ou 14 anos surgir com uma ideia revolucionária.

Contudo, a cada ano que passa, o empreendedorismo digital ganha mais força no mercado brasileiro. Através de especializações, o empreendedor acaba ganhando mais credibilidade em um mercado que está começando a ficar acirrado em alguns segmentos.

É normal ter medo ou receio de iniciar um negócio e investir boa parte de seu capital em meio à crise. Afinal, nunca sabemos sobre o dia de amanhã. Pode ser que você consiga o retorno esperado em um ano. Ou pode ser que precise fechar seu negócio.

A questão é: será que é arriscado demais começar um negócio durante a crise?

Vale a pena empreender na crise?

Empreender na crise

Entenda que sempre haverá riscos. Iniciar um negócio durante a crise pode sim trazer adversidades para você.

Criar algo novo dá trabalho e custa dinheiro. Conquistar um público fiel dá trabalho. Um negócio novo no mercado leva tempo para ganhar credibilidade. Não há autoridade suficiente ainda.

Segundo vários estudos já realizados acerca do empreendedorismo, um negócio leva em média dois anos para deixar o investidor breakeven, isso é, no ponto zero.

Além disso, é preciso esperar em média de 40 a 42 meses para que uma empresa recupere cada centavo investido. Porém, estamos levando em consideração negócios que precisaram de um investimento mínimo de 1 milhão de reais.

Mas então, por que valeria a pena iniciar um negócio em meio à crise? Porque o empreendedorismo ganha força justamente nessa época. 

Devido ao medo de empresas de decretarem falência, muitas delas acabam demitindo funcionários em massa. Outras realmente acabam fechando as portas. E é aí que um novo negócio entra no mercado enfrentando uma concorrência bem reduzida.

Mas isso vai depender, é claro, do perfil de cada investidor. Investidores mais conservadores vão correr menos riscos, mas também terão chances menores de ganhar mais dinheiro.

Tenha em mente que grande parte dos empreendedores ou diretores de empresas não enxergam a crise como uma aliada. Acabam por demitir muitos funcionários por não conseguirem enxergar mudanças significativas em curto prazo.

Isso, porém, acaba prejudicando as pequenas empresas. Porque muitas vezes são elas que fornecem insumos para grandes empresas, muitas vezes. Portanto, a crise acaba sendo uma excelente oportunidade para crescer. Você já tirou a ideia do papel?

Venha passar um dia no Desk Coworking, e aproveite este ambiente projetado para estimular a sua criatividade para tirar efetivamente as ideias do papel e colocar em prática!



Compartilhe :

Fale com um consultor