Governança tributária: entenda como reduzir e prevenir os riscos!

A governança tributária tem como objetivo oferecer soluções estratégicas de gestão empresarial, a fim de reduzir os riscos fiscais das empresas, ampliando sua eficácia, otimizando os lucros do negócio, e tem se tornado cada vez mais importante.
Muitos empresários se sentem transtornados quando o assunto é fiscalização. A cada ano que se passa, a Receita Federal se torna mais informatizada e, consequentemente, mais inteligente. A utilização de tecnologias da informação no cruzamento das informações coletadas de fontes externas tem possibilitado, por exemplo, selecionar para o fisco os contribuintes que possuem grande potencial de fuga tributária, o que acaba resultando em um grande número de autuações. E é aí que a governança empresarial entra.
Você sabe como ela pode auxiliar na prevenção e redução de riscos fiscais da sua empresa? Confira nosso post e se atualize!

O que é governança tributária?

A governança tributária representa o conjunto de procedimentos de gestão empresarial engendrados de forma personalizada para cada empresa ou entidade, com vistas à coordenação, controle e revisão dos procedimentos tributários, proporcionando, como resultado, a redução dos riscos fiscais, bem como a veracidade e a lisura das demonstrações financeiras deixando-as verídicas e transparentes.
Vale destacar que, a boa governança tributária, além de ser um princípio, deve ser praticada seguindo-se não apenas as normas gerais aplicáveis à governança corporativa, como também algumas outras que lhe são inerentes.

Como a governança Tributária pode auxiliar na prevenção de riscos fiscais na sua empresa?

A governança tributária é uma medida excelente para os empreendedores, uma vez que, é realizado um programa com estratégias visando a prevenção dos riscos fiscais.
A preocupação com o alto índice de riscos tributários é relevante, pois, pesquisas demonstram que pequenas e médias empresas, bem como empreendedores individuais, possuem fragilidade na condução de seus procedimentos e nas políticas corporativas tributárias.
Assim, com uma boa gestão tributária os empreendedores poderão prevenir e evitar futuros riscos fiscais em suas empresas, como por exemplo:

  • Multas advindas do descumprimento das obrigações fiscais;
  • Inconsistências ou divergências nas informações prestadas, decorrentes do desconhecimento da legislação ou do sistema tributário;
  • Enquadramento errado no modelo de tributação, impedindo que os empreendedores se beneficiem de casos de isenção fiscal, as quais podem acarretar uma excelente forma de economia para as empresas e para empreendedores individuais;
  • Pagamento de tributos de forma equivocada, podendo comprometer a lucratividade das empresas e dos empreendedores individuais;

Dessa forma, diante do contexto atual, complexo e oscilante, torna-se a governança tributária uma importante forma de se defender as empresas.
Tal prática garante a competitividade empresarial, pois, como o Fisco está cada vez mais vigilante com relação aos possíveis erros ou até mesmo à sonegação, os empreendedores que adotam práticas de governança tributária conseguirão minimizar riscos, conferir as informações prestadas e verificar sua veracidade.
Por fim, podemos concluir que a governança tributária é uma excelente medida para os empreendedores que contam com um planejamento estratégico a fim de minimizar os impactos negativos de uma enorme carga tributária como acontece no Brasil.
Gostou desse post sobre a governança tributária?  Deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco suas ideias! Leia também sobre as 5 principais fraquezas de uma empresa e fique por dentro de mais dicas!

Compartilhe :

Fale com um consultor