O coworking e a economia colaborativa

O Coworking e a economia colaborativa não alterou apenas o trabalho e o consumo, mas também tem trazido muito mais qualidade de vida para todo mundo.

E o coworking, enquanto um espaço de trabalho compartilhado, tem tudo a ver com essa nova tendência econômica. E é disso que queremos falar aqui no blog do DESK Coworking hoje.

O que é economia colaborativa?

Também chamada de economia compartilhada ou consumo colaborativo, a economia colaborativa, como o próprio nome sugere, se baseia na colaboração entre pessoas.

Ela possibilita o compartilhamento de bens e serviços em oposição às relações de trabalho e consumo tradicionais bastante centralizadoras.

Esse movimento visa a troca entre o que cada um pode oferecer de melhor, priorizando um bom atendimento – ou experiência – por um preço bem mais justo. Não entendeu?

O Airbnb é um dos exemplos mais bem-sucedidos de economia colaborativa. Os aplicativos de motoristas de particulares, como o Uber, outro.

Quem tem um carro, ou um imóvel, pode aproveitar seu bem para fazer uma graninha extra em tempos de crise. Seja como motorista ou oferecendo sua casa para hospedagem.

Do outro lado, os usuários, cansados da precariedade dos serviços de transporte ou dos altos valores cobrados pelos hotéis, têm a seu alcance melhores serviços por valores mais honestos.

Conclusão: o desgaste e as falhas do capitalismo geram iniciativas incríveis de pessoas que querem transformar o mundo em um lugar muito melhor.

A economia colaborativa acaba despertando uma nova relação entre as pessoas e o consumo. Muito mais do que vender ou comprar coisas, queremos compartilhar experiências.

Nós estamos preparados para essa nova tendência?

É importante esclarecer que a economia colaborativa não vai substituir o capitalismo. Pelo menos não agora. Ela oferece, entretanto, uma nova perspectiva para a geração de negócios e consumo sustentável, algo que podemos chamar de capitalismo consciente.

Esse novo lifestyle acaba melhorando a qualidade de vida. O trabalho deixa de ser algo engessado e hierarquizado para ser algo mais fluido.

Já o consumo deixa de ser vazio, artificial e impulsivo, e passa a ser baseado na experiência. O retorno financeiro não é o mais importante, mas, sim, o retorno sócio-afetivo. E ter só por ter já não significa muita coisa.

Trabalhamos naquilo que sabemos, ou mais gostamos, buscando deixar o mundo um lugar melhor. Compramos porque nos identificamos com a marca ou história daquele produto.

E o que o coworking tem a ver com tudo isso?

O coworking é uma base importante para a consolidação da economia colaborativa. Ele  favorece o compartilhamento de experiências entre seus membros, seja na construção de novas parcerias de trabalho ou na troca de conhecimento.

O dono de um coworking, por sua vez, ao abrir um escritório compartilhado não quer só ganhar dinheiro com seu negócio.

Quer dizer, essa pode até ter sido a primeira motivação, mas ao longo do processo, ele vai se dar conta de que construiu algo muito maior.

Abrir um espaço para oferecer um escritório para quem não pode arcar com os custos de um escritório privado está fazendo com que todo mundo cresça e ganhe dinheiro junto. E isso é mais saudável, duradouro e sustentável.

Todo mundo sai ganhando nessa.

Coworking e qualidade de vida

O coworking tem alma, pois envolve comunidade e colaboração. Ou como disse  Amarit Charoenphan, co-founder do Hubba Coworking Space, na Tailândia, “espaços de coworking são as comunidades que resgatam a cultura de colaboração e a cooperação, para as nossas cidades, para nossa comunidade, para nossa sociedade.

E se nós podemos promover os coworkings para estarem por todos os lugares nós teremos muito mais lugares com alma, e isso aumentaria o nível de qualidade de vida das nossas cidades.”

Já Sean Fedorko, da Radius CoWork, defende a ideia de que os negócios estão cada vez mais começando a partir de um propósito. E não com um produto.

Vivemos em uma cultura do empreendedorismo. Muito mais que aceitar um emprego, estamos criando empregos para oferecer ao mundo o que temos de melhor.

Assim, ao levar o negócio para um coworking, estamos pensando no que o espaço pode trazer de positivo para nós mesmos, além de considerar o que podemos contribuir para a comunidade.

Totalmente inserido nessa realidade, o DESK deu início à Comunidade DESK Coworking. Criamos um espaço para nossos coworkers trocarem projetos e experiências entre eles, e entre eles e vocês.

Uma grande comunidade de indicações e geração de negócios entre todos, que funciona de um jeito super simples e ativo. Você entra em contato com a gente.

Analisamos a sua demanda para indicarmos uma pessoa ou empresa. É assim que começa uma parceria produtiva.

FAÇA PARTE DE NOSSA COMUNIDADE

Na próxima semana, queremos falar de algo um pouquinho mais burocrático, mas que certamente interessam às duas pontas do coworking: endereço comercial e endereço fiscal, e quais as vantagens de cada um deles para os coworkers e proprietários de um coworking.

Compartilhe :

Fale com um consultor